O SENTIDO DA VIDA


Aos 31 anos e ainda solteira, eu trabalhava como secretária em São Paulo e dividia um beliche com estranhas em uma pensão na Av. Paulista. E por que eu morava ali sozinha, longe da família?

Minha amada mãe havia morrido de câncer quando eu tinha 22 anos, um dos meus irmãos estudava na USP e morava ali nos alojamentos para estudantes, minha única irmã era casada e morava em Petrópolis e os outros treis  irmãos moravam em Taubaté com  nosso pai, - um homem muito severo e de coração duro com quem eu não me entendia, apesar de amá-lo.

Carente de amor, sem amigos (a minha melhor amiga havia se casado há pouco tempo) eu entregava meu coração a quem me desse algumas migalhas de afeto. Barzinhos, discotecas, tardes de paquera no Ibirapuera, namoros que não davam em nada e que  me faziam sentir  mais solitária e sem esperanças de um dia poder me casar e ter filhos.

Em uma manhã de domingo, após ter ficado por algumas horas lendo em uma praça próxima de onde eu morava, já a caminho do pensionato, resolvi entrar em uma igreja presbiteriana  indicada por meu chefe havia me dito que ali poderia fazer amigos no grupo de jovens e quem sabe encontrar algum rapaz que quisesse formar uma família comigo.

Ao me ver chegando um senhor me avisou que o culto estava no fim e me convidou a voltar na próxima semana no horário certo, e me deu de presente um pequeno livreto chamado  "Encontro com Deus". Quando cheguei em casa abri na página que trazia um texto sobre as esperas pelas quais temos que passar. Encerrando o texto li esta frase: "Deus jamais nos faz esperar em vão", e no final  esta breve oração: "Obrigado Senhor pelo amor que há por trás de Tuas demoras".

A esperança ressurgiu! Entendi que eu poderia ainda ter o marido e a família que sonhava!

Crendo nessa promessa, passei  a frequentar os cultos daquela igreja e todas as noites lia aquela mesma página do livrinho que depois guardava  debaixo do meu travesseiro e então sonhava com um lar,  com um marido e  com filhos.
....................................................................................................................................................

Para saber o que foi que aconteceu a seguir, preciso contar que quatro anos antes daquele domingo em que ganhei o livreto, quando eu tinha ainda 27 anos, havia namorado por uns meses com um  rapaz maravilhoso, quase 5 anos mais novo que eu. Cheguei a pensar que finalmente havia encontrado a pessoa certa, mas eu estava enganada. Ele terminou o namoro após sete meses, dizendo que não estava preparado para assumir um compromisso sério e que não se sentia bem  "empatando meu tempo", já que eu havia completado 28 anos na ocasião.

Sofri bastante e me sentia  cada vez mais sozinha  pois  minhas amigas já estavam todas casadas.

 Ele não me procurou mais, até que...

...............................................................................................................................................

...Quatro anos se passaram  depois do término do namoro. Eu passei a frequentar  os cultos daquela igreja e a ler todas as noites a mesma página do livreto crendo firmemente que encontraria  alguém que me levasse ao altar, quando depois de apenas  um mês atendi um telefonema no trabalho. Era aquele rapaz mais novo que não queria namorar sério comigo! Depois das formalidades  iniciais do tipo "como vai você?", "O que tem feito?", "Já se casou?", "Está namorando?"  etc. ele disse que gostaria de me ver qualquer dia desses. Eu nem titubeei e disse rapidamente:
- Não pode ser hoje?

Naquela  mesma  noite fomos a uma lanchonete, e ali conversamos, atualizando-nos sobre como estava nosso trabalho,  sobre nossos amigos e parentes, enfim, falamos sobre várias coisas,  exceto sobre nós dois.  Ao voltarmos para o carro ele segurou minha mão ao atravessarmos a rua. Depois parou, olhou bem firme em meus olhos e  me  simplesmente me perguntou:
- Você quer se  casar comigo?

Assim  mesmo! Ele me pediu em casamento!! Ele não  disse  que gostaria de reatar o namoro, não quis me levar a um motel e nem sequer me beijou. Simplesmente me pediu em casamento! Eu quase não podia acreditar! Claro que eu fiz um certo charme... não fui aceitando assim logo de cara! Respondi que ia pensar e que daria a resposta no final de semana, quando combinamos de nos ver novamente.

Me lembro que quando cheguei ao pensionato fiquei por um tempo me olhando no espelho do banheiro e chorando, enquanto repetia:  "Eu vou me casar! Eu vou me casar! Vou ter uma família! Deus, obrigada, obrigada Senhor!"

Eu havia pedido um marido, e Ele estava me dando... um marido!

O marido que eu pedi a Deus! (14 de outubro de 1989)
O Osmar passou a frequentar os cultos comigo naquela igreja e em menos de dois anos  estávamos nos casando ali.  
  
Eu tinha o marido sonhado. Não qualquer marido, mas o marido.  Eu tinha um lugar  para morar para chamar de meu!  Não qualquer beliche entre moças estranhas, mas um apartamento novinho em folha!  E  Deus foi me dando os filhos que eu tanto desejara.  Não quaisquer filhos, mas o Daniel, a Luíza e o Pedro.




Contudo, apesar de  sermos  membros daquela igreja, ainda não havíamos entendido plenamente  o propósito de Deus para nossas vidas. Íamos aos cultos, cantávamos hinos,  tínhamos uma Bíblia, levávamos os filhos à Escolinha Bíblica Dominica, mas ainda não tínhamos um coração transformado.

Em 1996 o Osmar recebeu um convite para trabalhar em SC, com um ótimo salário! Nos mudamos para Blumenau e poucos meses depois comprei uma pequena papelaria assumindo  vários compromissos financeiros para aumentar o estoque e melhorar o  visual  da loja.  Então aconteceu que após um ano de estarmos morando ali a empresa em que o Osmar  trabalhava foi vendida para um grupo estrangeiro e o Osmar... ficou desempregado.

Com treis filhos pequenos passei a usar o pequeno   faturamento da loja para pagar nossas despesas: aluguel, mensalidade da escola, prestação do carro, empregada, alimentação, e etc. na esperança de que logo surgisse outro emprego, porém o tempo foi passando e o emprego não vinha. A fim de aumentar um pouco nosso rendimento o Osmar começou a dar  aulas em uma escola de inglês, mas ainda não era o suficiente para cobrir todos os nossos gastos. Tivemos que vender nosso carro, o aluguel foi atrasando, tiramos os filhos da escola particular e  despedimos a empregada e a funcionária da loja. Eu não conseguia repor os estoques da loja e como só comprava o mínimo necessário para manter a loja funcionando, o faturamento caia sem parar. Já não conseguia pagar  os títulos que venciam e os avisos de protesto começaram a chegar.

Sem parentes ou amigos a quem recorrer, um dia, após ter chorado um pouco por causa da situação em que nos encontrávamos,  atendi um cliente costumeiro da loja - o Quinho - ainda com lágrimas nos olhos. Ao perceber  minha tristeza  perguntou  o que havia acontecido,  e comovida por seu  interesse expliquei nossa situação. Após ouvir  despediu-se dizendo que voltaria mais tarde mas,  quem veio na verdade foi sua esposa Adriana  trazendo um convite para conhecermos a igreja que frequentavam.  Ela me disse que ali na igreja eram todos  como uma  família e que tinha certeza que nós iriamos gostar. No dia do culto foram nos buscar em casa, pois que estávamos sem carro, e assim fizeram durante muitos domingos. o Quinho deixava sua família na igreja, ia até nossa casa nos buscar, depois nos levava de volta e só então ia pegar sua família na igreja. Nos apresentaram aos seus amigos, e fomos fazendo amizade com pessoas queridas que nos recebiam em suas casas, oravam por nós e nos ajudavam em todas as situações.

Nessa igreja  finalmente entendemos o plano de Deus para nossas vidas. Entendemos que Ele  não queria apenas nosso tempo em um culto semanal, nem que carregássemos bíblias debaixo dos braços, nem que fossemos apenas religiosos como realmente eramos.   O que Deus queria era que entregássemos  o controle de nossas vidas a Jesus!  Depois de percebermos a diferença que existe entre ser uma pessoa religiosa e ser uma pessoa que tem um verdadeiro relacionamento com Deus,. Entendemos que Ele usou nossa angústia para que finalmente, quebrantados, entregássemos   a Ele o controle sobre nossas vidas!

Mais uma vez Deus havia me dado uma  oportunidade.  E mostrou seu amor por mim e por nossa família  através da nova igreja, MEUC (Missão Evangélica União Cristã). O Pastor Lodemar e muitos irmãos queridos cuidaram de nós por meses a fio e  Deus, por mais de um ano, supriu através deles todas as nossas necessidades de alimento, remédios, roupas, sapatos para os filhos,  consultas médicas, consolo, carinho e amizade. Aquele cliente, já um amado amigo, ainda ofereceu ao Osmar a chance de ser representante de tapetes da empresa para a qual ele trabalhava enquanto um emprego  não vinha  e ainda  mais:  nos vendeu um fusca usado por um valor simbólico -  o que  tornou minha vida bem mais fácil pois eu morava bem longe da loja!  Toda essa ajuda e carinho recebido  foi demonstração do  incomensurável  amor de Deus por nós!

À medida que íamos entendendo  as verdades contidas na Palavra, nossos corações iam sendo transformados. Não por imposição ou por sujeição à regras, mas por vontade própria, pois já não conseguíamos mais viver com os antigos erros. Com alegria íamos deixando para trás nossa velha natureza, nossa antiga maneira de pensar e de viver e fomos  nos tornamos novas pessoas. Agora tínhamos uma alegria permanente e as esperanças renovadas!

Após vinte e dois meses de desemprego finalmente surgiu um bom trabalho na área em que  o Osmar  sempre atuou. Já se passaram doze anos  e desde então nunca mais ficamos desamparados. Ao contrário. Deus foi derramado cada vez mais bençãos generosas sobre nós.

Maiara
Em 2003 tivemos nossa família aumentada! Adotamos  uma menina de 8 anos - a Maiara -  que  foi um presente de Deus para nossas vidas, um novo desafio que enfrentamos dependendo da sabedoria divina e mais  uma prova do amor e cuidado de Deus!                                          

Houveram  outras  lutas e dificuldades? Sim, houveram, pois Deus não nos promete  uma vida sem aflições e sem lutas... essa vida só teremos no céu um dia!  O que Deus nos promete é que nunca nos deixará sozinhos para enfrentá-las quando decidimos andar com Jesus.

Com Jesus podemos  superar  qualquer dificuldade com coragem e contentamento, pois ´´e o que  Ele garante:

"Buscai primeiro o reino de Deus e sua justiça e todas essas coisas vos serão acrescentadas".

Querido leitor, te convido a conhecer Jesus.  Ele está vivo! Ele é Deus! Não espere para conhecê-lo  através de  sofrimentos como aconteceu conosco.  Conheça-o agora e descubra em Jesus, o sentido para tua vida!

Você não compreende isso, não é mesmo? Posso imaginar  as  dúvidas  que deve ter a respeito, mas mesmo assim se você  deseja confiar em Jesus, como eu confiei quando era uma moça  solitária e infeliz, e deseja se entregar totalmente a Ele como fiz anos depois, faça a oração abaixo. Não é uma reza decorada como tantas que você talvez conheça, é apenas um  modelo da conversa que você pode ter com Deus. Ela vai te ajudar a fazer essa entrega. Mas se quiser use suas próprias palavras e depois procure uma boa igreja cristã, com uma doutrina correta e fiel apenas à Bíblia, onde você poderá crescer espiritualmente e viver  em comunhão com outras pessoas que também seguem a Jesus! 

"Querido Deus, sei que tenho vivido minha vida afastado de Ti me achando auto-suficiente demais e colocando a minha fé em outras coisas e pessoas que não em Ti. Porém decido agora entregar-Te o controle da minha vida. Obrigado por me amares tanto a ponto de teres enviando Teu filho Jesus para morrer na cruz e ser punido em meu lugar pelos  pecados que eu mesmo cometi. Peço-Te perdão por cada um deles (nomeie agora os teus pecados).Coloco minha fé em Ti e recebo Jesus como meu Senhor e Salvador. Ajuda-me Senhor a,  a partir de hoje, viver apenas  para Jesus. É no nome Dele que oro.  Amém!



Então, que tal dar sentido à tua vida? 
É SIMPLES ASSIM!



VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails