sábado, 2 de março de 2013

MARCAS DE UMA VIDA

Visitando minha tia nas férias de 2012
Faz alguns dias minha amada Tia Clara,  faleceu ... Ela é a prova de que o amor é possível,  mesmo na distância e no tempo. 

Apesar de morar no Uruguai ela sempre esteve  presente em minha vida, não apenas dando-me muito carinho quando viajava para lá com a família, mas também  através das cartas que me escrevia desde quando eu era menina. Depois da infância fui outras vezes ao Uruguai, sozinha, com meu irmão mais velho ou com uma amiga, e ela sempre amorosa comigo! Porém foi a viagem que fiz sozinha para lá aos 14 ano a que mais me marcou:  Ela me  apresentava às amigas, me levava ao centro,  ao cinema e.. às confeitarias! Eu me achava toda  importante,  sentada ali com minha tia, entre  bolos e biscoitos deliciosos!

Lembro de cada cômodo de sua casa, do imenso quintal dos fundos e da garagem incrível do meu tio Tito, com ferramentas meticulosamente arrumadas sobre uma bancada de marceneiro - seu hobby -  e dezenas de potinhos nas prateleiras, contendo pregos, parafusos, dobradiças, etc. Me lembro de cada detalhe da casa, dos móveis, dos enfeites, da lareira na sala e sim, me lembro das comidas gostosas daquela casa!  

Ficaram em minha memória as tantas noites de Ano Novo que nós passamos ali,  com nossas família reunidas. Posso ainda sentir o clima festivo  presente nas conversas dos adultos, na mesa da sala de jantar tão  bem arrumada,  com a  louça bonita e as travessas elegantes, nos fogos de artifício à meia-noite, nas paparicações de nossos primos adultos, e... nos melões  com presunto! Eu adorava aqueles melões  com presunto que eram servidos como prato de entrada - uma iguaria para mim! Achava aquilo tão chique, e chique também era o carrinho de chá ao lado dela quando estávamos à mesa, servindo de apoio para as travessas com os deliciosos pratos que ela e a Damiana, sua empregada  de toda  a vida, preparavam! 

Lembro das muitas coisas gostosas que se comiam naquela casa: cebolas empanadas,  tomates recheados, abobrinhas gratinadas e maravilhosos bifes à milanesa com batatas! Tudo muito saboroso e caprichado, ainda que fossem pratos do dia-a-dia. E as grandes garrafas geladas de água com gás sempre presentes à mesa das refeições? E as  coca-colas que  nunca faltavam na geladeira? E os torrones na época de Natal? 

Tenho certeza que ela sempre soube que os torrones que guardava na geladeira e que apareciam misteriosamente mordidos e  que as garrafas de coca-cola da despensa  - esvaziadas  como que por encanto (fazíamos os furos na tampa com pregos!) -  eram obras minhas e de meus irmãos! Mas sei que por amor ela nunca nos disse uma única palavra. Acho que porque ela  sempre poderia ter os torrones e as coca-colas por perto, enquanto que nós...iriamos voltar para casa e quem sabe quando estaríamos juntos outra vez

Mas uma das lembranças que guardo com mais carinho é de quando ela me chamava às vezes ao seu quarto para que me deitasse ao seu lado enquanto descansava depois do almoço e...conversávamos!  Fazia  perguntas sobre minha vida, contava histórias dos seus antepassados, casos da família, e me dava conselhos! 

Mas uma das coisas mais legais que já me aconteceu na vida devo à  minha Tia Clara:

Aos 14 anos fui de férias ao Uruguai. Lá me revezava entre as  casas das muitas tias,  mas  bem quando estive por uns dias em sua casa, recebeu uma pequena herança a ser dividida entre ela e os  irmãos. Ligou então para o meu pai no Brasil dando a notícia  e perguntou se eu poderia usar um pouquinho daquele valor para comprar alguma coisa para mim, tomar alguns sorvetes, etc.  e informou o valor que lhe correspondia em Pesos - moeda do Uruguai - Ele consultou minha mãe e segundos depois respondeu:  
- Claro que sim, pode deixar ela ficar com tudo!
- Mas com TUDO? - perguntou minha tia. É muito para uma mocinha como ela!
-Sim, pode dizer a ela que use tudo, sem problema algum - confirmou meu pai, que provavelmente por causa das saudades quis me fazer esse agrado. 
Minha tia ficou surpresa, mas enfim, me disse que tudo seria meu. 
Era um valor incrível para gastar nas semanas que restavam! Algo assim como uns R$ 5. 000,00 em dinheiro de hoje,   e passei o resto daquelas férias como uma RAINHA!

Um dia  ela me levou "às compras": Em uma loja de cosméticos comprei de tudo: cremes, shampoos, maquillagem, perfumes. Comprei roupas para mim, um biquini, um relógio e um despertador. Também convidava minhas primas para ir ao cinema, às sorveterias e às confeitarias e eu pagando tudo, claro! Comprei também  presentes para  meus pais e irmãos e presentes para uma de minhas primas. Foi uma festa! 

De volta ao Brasil, meu pai soube - e viu - tudo o que eu havia feito com o dinheiro e perguntou-me qual era mesmo o valor que havia recebido. Fez então a conversão, desta vez com calma, e quase teve um treco:  se deu conta de que ao calcular o valor no momento do inesperado telefonema  ele havia excluído um ZERO do resultado! Ah, nunca  um ZERO causou tanta alegria na vida de alguém,  e graças à minha tia Clara fui rainha por uns dias!!

No verão de 2012 voltei ao Uruguai  depois de muitos e muitos anos, com parte de minha  família e pude revê-la depois de quase 20 anos! Estava com Alzheimer e não se lembrou de mim... mas eu pude emocionada, segurar suas mãos fraquinhas entre as minhas e ouvir sua voz, a mesma voz de sempre,  enquanto conversava toda tagarela com um tio, sobre politica - um de seus assuntos preferidos!  Finalmente abracei-a bem forte e me despedi de minha amada tia, desta vez, para sempre!

A você, que leu até aqui, quero te deixar este conselho: não economize amor! Ela não economizou o seu e por toda a vida teve atitudes de afeto e demonstrações de amor para comigo, apesar do tempo e da distância. Faça com que as pessoas que você ama se sintam especiais, deixe marcas em suas vidas, apesar de tudo o que o separa delas.  Eu tenho as marcas da minha tia - da minha TIA CLARA!


Nenhum comentário:

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails