sábado, 23 de fevereiro de 2013

DE QUEM É A CULPA?


 


De modo geral todos nós nos sensibilizamos com a situação de pessoas cujas vidas fogem dos padrões de normalidade material, social ou moral e que aparentemente são vítimas da negligência e falta de amor de alguém. Mas nem sempre sua miséria (material , social ou moral ) tem um culpado, seja o Estado, o sistema ou os seus pais. Há pessoas que vivem uma vida miserável aos nossos olhos, porque elas mesmas  não querem se relacionar com outras, não querem estudar ou trabalhar e não planejam sequer o dia seguinte -  o que dirá planejar o futuro que para elas não existe justamente por ser distante.  Pessoas assim podem não ser vítimas de nada e nem de ninguém, podem ser apenas portadoras de  Transtorno de Personalidade Anti-social,   nome dado pela psiquiatria a vários tipos de transtornos, entre eles a psicopatia.

Pessoas assim não se preparam, e por isso não terão bons empregos e como também não planejam sua vida não saem à busca de trabalho algum, qualquer que seja o trabalho, principalmente se a família estiver suprindo ao menos suas necessidades básicas. Para elas a vida  lhes deve tudo:  dinheiro, amigos legais,  cama quente para dormir,  direitos iguais aos demais, roupa boa para vestir e coisas gostosas na despensa. Para elas a satisfação de seus desejos é tudo o que importa e quando esses desejos são frustrados elas se tornam agressivas, vingativas e procuram causar sofrimento a quem lhes negue algo. 

Elas  não tem necessariamente culpa, e como possuem uma personalidade transtornada não há médico, psiquiatra,  psicólogo, cuidado e amor dos pais ou de qualquer instituição do governo ou eclesiástica que mude isso. Personalidade é personalidade*.  Esses indivíduos não são doentes,  pois doenças são passíveis de tratamento e cura,  mas personalidades não são. Os que tem suas personalidades transtornadas  podem apenas ser controlados via medicação e terapia,  que restringem as manifestações de  impulsividade e agressividade por exemplo, e ainda assim, a eficácia desse  controle não é garantida em todas as inúmeras e impensáveis  situações  desencadeadoras de estresse e frustração nesses  indivíduos. 

Por isso, tenhamos cuidado ao procurarmos culpados para as situações de miséria material, moral ou social de alguns.  Corremos o risco de sermos precipitados tirando conclusões  rápidas com base em nosso conhecimento limitado e superficial  dos transtornos que assolam  a humanidade bem como em nosso ínfimo ou nulo conhecimento a respeito das  circunstâncias que envolveram e envolvem a vida das pessoas. 

Em situações de misérias como essas não existem culpados, existem apenas vítimas, em especial a família e em particular alguns membros da família  que eles mesmos escolhem como culpados de sua própria miséria. 

Se não somos  médicos psiquiatras ou  psicólogos,  se não conhecemos o histórico completo desses indivíduos ou se  não temos uma convivência constante e intensa com estas pessoas  e com seus familiares o melhor a fazer é não tirarmos conclusão alguma culpando este ou aquele, caso contrário a conclusão seria errada e por ser errada,  injusta.


"Eis que também agora a minha testemunha está no céu, 
e nas alturas o meu testemunho está."
 Jó 16.19

*Personalidade
"PERSONALIDADE É A ORGANIZAÇÃO DINÂMICA DOS TRAÇOS NO INTERIOR DO EU, FORMADOS A PARTIR DOS GENES PARTICULARES QUE HERDAMOS, DAS EXISTÊNCIAS SINGULARES QUE SUPORTAMOS E DAS PERCEPÇÕES INDIVIDUAIS QUE TEMOS DO MUNDO, CAPAZES DE TORNAR CADA INDIVÍDUO ÚNICO EM SUA MANEIRA DE SER E DE DESEMPENHAR O SEU PAPEL SOCIAL". Leia mais aqui



Nenhum comentário:

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails