sábado, 15 de outubro de 2011

Quanta coerência!


Imagine a cena abaixo: 

Na entrada do céu, diante dos portões celestiais, São Pedro pede a cada um que chega o relatório das boas ações que praticou na terra. 





___________________________________________________________
Maria Isabel Sáenz de Zumarán Medeiros
Imaginando a cena até posso ver uma porção de gente, a maioria mesmo,  dando uma meia-volta em direção ao inferno, enquanto aqueles com suas boas ações anotadas num enorme rolo  tem a catraca liberada para entrar e  passar a eternidade toda no céu! Ah, isso seria bem  justo, SE a prática  de boas obras fosse  o requisito exigido para ganhar a Salvação e assim livrar  muita gente de passar a eternidade longe de Deus!  

Mas seria tão injusto com as pessoas que, por falta de tempo, dinheiro ou saúde, nada fizeram ou fizeram muito pouco para ajudar o próximo! Pense comigo:  no mundo há ricos muito ricos,  há os apenas ricos, há os que não chegam a ser ricos mas tem uma  vida confortável e há também os pobres, os muito pobres e os miseráveis. Agora pense: quantas cestas básicas, quanta caridade, quantas doações pode fazer um rico muito rico que queira ser aceito por Deus (tipo Bill Gates, por exemplo)? "Puxa, que coração enorme eu tenho"- ele pensará - "com certeza Deus vai me aceitar no céu!"   Suponha também que o Galvão Bueno, que é beeem rico,  queira igualmente agradar a Deus e para merecer favores celestiais   sustente um Lar de Velhinhos e mensalmente lhes faça uma visita levando presentes, revistas e cremes hidratantes (velhinhos sempre precisam de cremes hidratantes!!) e passe ali algumas horas entretendo-os, contando casos do mundo dos esportes, distribuindo afetuosos abraços e sorrisos e quando finalmente for embora terá a consciência tranquila  certo de ter ganho alguns pontos com Deus.

Já,  o português da padaria, que vive numa boa casa com piscina e churrasqueira  que  entrega com certo sacrifício  10 cestas básicas por mês a uma comunidade carente, pensa: "Acho que isso já é o bastante"!  E há também o pobre gari, que pobrezinho como  é,  pode apenas doar um pouco de seu tempo servindo como voluntário na igreja do bairro e dando o troco do ônibus de vez em quando para o miserável que lhe estende a mão sempre que passa por ele. Essas  suas "boas obras" o fazem crer qu também é merecedor do céu, afinal,  Deus não deixou uma lista de quais obras seriam as obras que  garantiriam a Salvação.  Mas, e os miseráveis? E aqueles que vivem nos leitos de hospitais? E os encarcerados? Esses não conseguem mesmo fazer nada, ainda se quisessem. E aí, como fica a Salvação dessas almas?

No contexto da Salvação pelas obras, não te parece também que  os que mais fazem se sentirão  mais merecedores de bençãos do que os outros? Não se sentirão eles orgulhosos, e com o peito estufado apresentarão sua enorme lista na entrada do céu? Essa seria a lógica da coisa.

Mas não é assim que a Salvação funciona. Não! Deus não nos pede que façamos coisas para merecê-la, sabia disso? Ele não precisa de favores dos homens, por mais que esses favores aliviem a carga dos necessitados que,  como o próprio nome diz,  são necessitados. Deus não é como os homens e não necessita de absolutamente nada!  Ele é poderoso, e como poderoso que é,  Ele a Salvação. Isso mesmo - Ele ! Assim, de graça, sem que  tenhamos que fazer nadinha!  Para sermos salvos há uma outra condição, a única:  a Salvação só é  conquistada pela fé. Através da fé Deus quer que você creiamos em seu plano redentor:  que Jesus morreu na cruz pagando assim o preço pelos nossos pecados e depois  ressuscitou   a fim de que crêssemos que Ele é Deus. 

Agora preste atenção na coerência toda. Sabe porque a fé é de graça? É de graça porque é para todos, desde os ricos muito ricos até os pobres muito pobres, é para os sãos e os doentes, anônimos e famosos, de qualquer raça, nacionalidade ou religião.Todos sem exceção tem direito à Salvação! Isso não é fantástico? Não é extremamente justo? Você não vê nessa proposta de Deus uma coerência incrível capaz de fazer com que no céu eu e você nos encontremos com os mendigos e o magnatas, com o negro e o branco, com o anônimo e o pop-star e  com tantos outros que como nós creram em Jesus e que  estaremos todos juntos ao redor da mesma mesa desfrutando do mesmo banquete celestial?  

"Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós, 
é dom de Deus, não de obras, para que ninguém se glorie."
 Ef 2: 8,9 


Só mesmo um Deus justo como o nosso Deus teria sido capaz de bolar algo assim...tão coerente, tão justo e tão simples.

Nenhum comentário:

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails