segunda-feira, 30 de agosto de 2010

FOLHAS E POEIRA


Maringá é uma, linda cidade!!
Praças, parques e muitas, muitas árvores nas ruas,  formando verdadeiros "arcos verdes" e sob os quais adoro passar!  Muito verde!

 Esse é o "tcham" de Maringá. _________________________________________________________________
Maria Isabel Sáenz de Zumarán Medeiros 



Mas nesta época do  ano, tudo muda por aqui! As copas das árvores se tornam pouco frondosas, expondo os galhos desnudos. O vento, quase que constante nesta época do ano, sacode as copas e vai jogando ao chão as folhinhas... milhares...milhares... de folhinhas forram as ruas, calçadas e quintais de Maringá, formando  lindos e crocantes tapetes. É isso mesmo: lindos e crocantes! As folhas e galhinhos secam sob o sol e quando a gente pisa...é um "crock, crock" delicioso de sentir e ouvir!

Como é possível alguém achar lindo taaantas folhinhas que invadem a frente da casa, entram pelas janelas, se espalham sob  camas, móveis e sofás e ainda trazem consigo a  poeira!! Como é possível gostar de ver a calçada cheia de folhas que precisam ser varridas diariamente? Parece até que adoro varrer, sacudir e tirar o pó dos móveis todos os dias! Mas não, não gosto taaanto assim de ficar limpando, e nem gosto de ver  pó ppor todo lado... porém, esse é o preço!

O preço a ser pago pelo frescor da sombra das árvores  no calorão do verão;  pelo  canto dos passarinhos pela manhã;  pela beleza que enche meus olhos quando caminho pelo bairro,  quando vou ao centro, quando estaciono o carro sob uma árvore frondosa! O preço por poder admirar a "chuva de folhinhas"    que tocam meu rosto e pousam sobre meus ombros e meus cabelos; o preço de contemplar o leve balançar da copa da árvore em frente à minha janela  quando me deito em meu quarto. O preço de ouvir de alguns amigos:  "Ah, vocês agora moram em Maringá?  É uma cidade muito linda!!" - fico toooda prosa, como se eu mesma tivesse  algum mérito por essa belezura toda!

Por isso tudo  é que varro a calçada com alegria e tiro o pó dos móveis satisfeita! Já até convenci a turma aqui de casa a não se referir àquela enorme quantidade de folhinhas e à poeira como "sujeira". Nada disso. Não é sujeira nenhuma. É  apenas o produto inevitável do inevitável ciclo da natureza no qual as estações se sucedem - e graças a Deus por isso!

A história das folhinhas me faz pensar em que as coisas boas sempre tem seu preço... Não seria possível  usufruirmos de sombra, pássaros, beleza, frutos e flores, sem ter que assumir o preço de varrer as folhas!

Da mesma forma, o preço para uma vida de vitórias, tem um preço a ser pago, e esse preço é  seguir a Jesus! E assim como varrer e tirar o pó nem sempre é fácil, seguir a Cristo também não é: existe um preço:  pessoas poderão rejeitar a quem tomar essa decisão, familiares poderão repudia-las pelo abandono da "tradição religiosa familiar" e outros caçoarão dessa escolha. Seguir a Jesus exige disciplina, perseverança  e negação dos prazeres fáceis, porém quase sempre perigosos, deste mundo, mas... quando  se descobre as delícias de se  viver sob o "arco do amor" de Jesus,  comprova-se que vale  a pena pagar o preço! E descobre-se que comparado à vida abundante e a alegria de caminhar com Ele, esse preço é uma pechincha!!

PAGUE O PREÇO!
SIGA


Um comentário:

Maria Isabel disse...

Não considero um esforço varrer a nossa calçada todos os dias, isso se o tempo lhe permite pois estamos contribuindo para que nossa cidade esteja sempre limpa!

Recebido de Stela Carvalhal Berla via e-mail.

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails