segunda-feira, 28 de junho de 2010

IRMÃOS


Irmãos moram  em média 1/3 de suas vidas debaixo do mesmo teto e ainda assim são tão diferentes...

Torcem para times diferentes, escolhem profissões diferentes,  fazem turmas de amigos diferentes, frequentam lugares diferentes, desenvolvem  hábitos diferentes.

Se é assim, tudo tão diferente, o que fica então de todos aqueles anos em que viveram juntos?
___________________________________________________
Maria Isabel Sáenz de Zumarán Medeiros

Fica o elo.
Elo feito do passado em comum e das lembranças boas . Sim, das boas porque das más... ninguém se lembra (ou prefere não lembrar...).
Fica o mesmo sobrenome, ou ao menos parte dele (para não se esquecer da raiz!).
Ficam as lembranças das festas, o álbum de fotografias, os objetos herdados,  e fica... fica...a vontade quando se juntam novamente, já bem mais velhos, alguns barrigudos, outros de cabelos brancos, outros que  já não ouvem bem, de que tudo (ao menos por alguns instantes) volte a ser como antes,  quando todos eram apenas...irmãos!

Fica o elo que se formou durante os ataques de risos, quando  se ria de nada,  quando faziam piqueniques na calçada, brincavam de esconde-esconde na rua, de elefante-colorido, de gato mia no escuro; quando  compartilhavam quase tudo: segredos, figurinhas, uma casinha na árvore ou uma cabana no mato; quando montavam acampamento no quarto, brincavam de casinha, de bola, de carrinho, de Stop, de Banco Imobiliário, de Can-Can; quando corriam  para a rua atrás do sorveteiro, tomavam banhos de chuva ou de mangueira na garagem; quando disputavam a sobra da batedeira de bolo, ou  quando juntos assistiam  TV espalhando pipocas na sala.

É muito pouco o que fica, é verdade. É apenas o elo. E para que ele seja bem forte o jeito é fazer com que o tempo vivido sob o mesmo teto seja um tempo cheio, lotado, abarrotado de ternos e eternos momentos juntos. O segredo é colecionar esses momentos. Servem muitos tipos de momentos: no caminho da escola, nos brincadeiras com os vizinhos, nas visitas aos avós, nos jogos de rua, nos passeios com a família, nas idas ao cinema, nos programas da igreja, nas festas da escola.  Mas especialmente os momentos no lar.  É nele, no lar, o  melhor lugar onde os elos se ligam uns aos outros, nas inúmeras  possibilidade de tantos e tantos  momentos!

Se você tem um ou mais irmãos, não importa se do mesmo sexo ou não, não importa a diferença de idade,  aproveite ao máximo o tempo que vocês tem debaixo do mesmo teto, um tempo que acaba logo. Invente, planeje, curta seu(s) irmão(s).  Sempre há um jeito de fortalecer o ELO!

Meus filhos Pedro, Daniel, Maiara e Luíza fortalecendo o ELO aos domingos, 
num apeeerto danado, no banco traseiro do carro, a caminho da igreja.
Quanto mais momentos, melhor.
Quanto mais lembranças, melhor.

É  muito pouco o que fica...
Mas esse pouco será  eterno se o elo for indestrutível! 














Nenhum comentário:

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails