segunda-feira, 2 de novembro de 2009



    "De nada adianta   sabermos  muito se não temos maturidade para vivermos tudo que sabemos"
                  (autor desconhecido)


Reflexão:  Há um perigo na frase acima, pois ela não especifíca que o muito que se sabe é considerado bom para se ter uma vida de qualidade. É possível se saber muito a respeito de coisas que não contribuem para isso.  Ser culto e bem informado certamente tem muito valor. Há pessoas que tem um grande conhecimento à respeito de assuntos específicos mas pouca cultura geral.. Já há pessoas que tem muita cultura geral mas não dominam  algum assunto específico. E há também os que são cultos, bem informados e ainda se especializam em um determinado assunto.  Porém cultura e conhecimento não produzem  necessariamente a sabedoria de que precisamos para viver de bem. E é aí que quero chegar.  Abaixo estão as quatro primeiras definições da palavra sabedoria do Dicionário Aurélio:


1) Grande conhecimento;  erudição, saber, ciência.
2) Qualidade de sábio.
3)  Prudência, moderação, temperança, sensatez, reflexão.
4) Conhecimento justo das coisas; razão.

Vamos começar falando sobre a definição de número 3,  já que essas características, segundo o dicionário,   são características de quem tem  sabedoria.

Prudência: É a qualidade de quem evita comer erros, que age com cuidado, que avalia as consequencias de suas decisões e opta pela que não vai causar dor, preocupação ou  sofriemento nem a si nem aos outros
Moderação: É a capacidade de evitar excessos, quaisquer que sejam: no falar,  vestir,  comer,  gastar, trabalhar, se divertir, etc.

Temperança: É a virtude de quem modera suas paixões, de quem não se deixa levar por seus desejos e impulsos. O que é moderado, razoável.
Sensatez: É característica de quem usa o bom senso, que avalia os prós e os contras  de suas atitudes e palavras.
Reflexão: O que faz uso da reflexão volta-se para si mesmo e examina  fatos, atitudes, pensamentos, opiniões, etc. fazendo uso do conhecimento já adquirido.
                                            
Como obter a maturidade necessária para praticar essas características?  Quais  das correntes de pensamento filosóficas e psicológicas explicam como fazer para incorporar todas essas qualidades?  Quem entre os pensadores que conhecemos viveu de modo a ser exemplo em todas essas áreas do relacionamento humano? Qual líder político ou religioso devemos buscar como modelo sem medo de errar?

A intenção com esta breve reflexão sobre maturidade e sabedoria é a de que você mesmo reflita e responda  às perguntas abaixo.

a)  Será que o que sei é tudo que preciso saber?
b) Como praticar as qualidades descritas na terceira definição de Sabedoria do dicionário?




b) Você acha que se as praticar  viverá com excelência?

Tome alguns minutos  e reflita sobre estas questões. É o primeiro passo em direção à  tal maturidade!
Nos próximos dias daremos as respostas que levarão você a avaliar  em que estágio de maturidade se encontra.
Seja um seguidor deste blog! (Clique na coluna da direita na palavra SEGUIR)



Um comentário:

Anônimo disse...

Meus parabéns pelo belíssimo trabalho. Espero que ele venha prosperar, pois através dele tenho certeza que muitas pessoas serão abençoadas e transformadas. Este primeiro texto já é bastante interessante e dá para parar e refletir.
Um grande abraço,
Cássia

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails