segunda-feira, 23 de novembro de 2009

(4 filhos + 1TV + 1computador ) = N confusões.

Você consegue imaginar a cena?

Filhos de idades variadas entre infância e adolescência disputando a programação da única televisão da casa e do direito de ficar teclando no computador durante toda a tarde ou mesmo até a hora de dormir?


Antes de avançar no tema acima é preciso voltar no tempo e contar uma experiência que tive logo no início do nosso casamento: Como filha de uruguayos falo bem o espanhol e na época  recebi uma proposta para dar aulas  particulares de espanhol a uma senhora proprietária de várias unidades de uma conhecida escola de línguas em São Paulo. Lá ia eu uma vez por semana ao seu apartamento na Alameda Jaú. Um apartamento enorme que ocupava um andar inteiro.Tinha motorista, cozinheira, babá para a filha de 7 anos, e outros serviçais. Essa senhora, a quem chamarei de D. Lúcia, tinha também duas filhas do primeiro casamento, com idades entre 18 e 20 anos. Claro que com um apartamento daqueles cada filha tinha sua própria suite, inclusive a de 7 anos.  Também  havia vários ambientes: biblioteca, escritório, sala de estar, sala de visitas e outros tantos.  Por alguma razão que nunca entendi muito bem,  a D.Lucia gostava de ter as aulas em ambientes variados. Isso fez com que eu conhecesse vários deles ao longo do ano e pouco em que lhe dei aulas. (Às vezes achava que ela queria mesmo era que eu visse  quão grande e luxuoso era seu apartamento).
Vez por outra eramos interrompidas por alguma das filhas que vinham se despedir da mãe, cumprimentar quando chegavam em casa ou a pequena vinha pedir alguma coisa, o que possibilitou-me conhecer a família. O que me chamou muito a atenção foi um dos comentários que a mãe fez um dia  a respeito das filhas o que me serviu de exemplo do que não fazer.  Minha aluna contou-me que como cada filha tinha tudo que precisava em seu próprio quarto elas  quase não se encontravam umas com as outras dentro da própria casa!  TV, video-cassete (faz tempo einh?!), som, telefone e banheiro próprios. Disse-me que acontecia de uma das filhas chegar em casa triste depois de ter desmanchado um namoro, por exemplo,  entrar em seu quarto e chorar por horas sem que ninguém tomasse conhecimento de sua tristeza.   Ou que uma delas se arrumava para ir a uma festa  e quando estava pronta descobria que a outra irmã havia acabado de sair para ir à mesma festa, pois cada uma tinha também seu próprio carro!  Até seu marido , pai da menorzinha, quase não via a própria filha pois enquanto ele  assistia tv ou em seu quarto ou na biblioteca a pequena via desenhos no seu quarto, em seu próprio video-cassete em companhia da babá.   Ter uma situação financeira tão confortável passou a representar para mim o risco de se ter uma família de estranhos. Conversando com meu marido sobre isso decidimos que não importasse quão bem financeiramente estivessemos,  sempre teriamos apenas UMA TV  em casa!  Nada de tvs nos quartos, nada de tv na cozinha, nada de tv na copa! 
É por essa razão que até hoje, após 20 anos de casamento ainda temos apenas UMA TV! (ah, também temos outra velha no quarto dos meninos para jogar video-game de vez em quando).
Confesso que tive de apartar algumas brigas por causa da TV!  Imaginem só:  meninas querendo assistir  "High School Musical"" pela quinta vez,  o mais velho jurando que não vai  deixar de ver o jogo do Palmeiras e o mais novo agarrado ao controle remoto prá ninguém mudar o canal do seu desenho.
Quando havia um impasse faziam-se  muuuitas negociações até que se chegasse a um acordo.  Óbvio que nas  ""negociações" às vezes estavam implicitos argumentos como um braço roxo,  um tenis voando pela sala ou  alguém chorando de raiva indo para seu quarto aos gritos. Mas... estavam sempre juntos.
As discussões por causa da TV?  Vitamina para os relacionamentos.
As lágrimas derramadas? Aula sobre as perdas que todos tem que sofrer na vida.
Os braços arroxeados?  Uma excelente oportunidade para se pedir perdão por ter causado aquele hematoma  e uma lição inesquecível sobre perdoar a quem nos magoa!


Com o advento dos PCs tomamos a mesma medida. O que significa que temos apenas UM COMPUTADOR!
Bem,  de uns dois anos para cá  temos mais dois pois o Osmar  tem o seu lap top e eu o meu.
Mas os filhos compartilham o da sala. No início, quando instalamos a banda larga até que houve certo  alívio  pois  os quatro filhos puderam se revezar entre o uso do computador e o da TV. Mas ainda tinhamos discussões:  "Eu estava primeiro! " ou: "você já ficou a tarde toda, agora é minha vez!"


Como os filhos foram crescendo, ficando mais fortes, suas vozes se tornando  mais grossas e mais altas tivemos que nos apressar em  resolver tres questões:


1) Acabar com as discussões sobre o que assistir ou quem usaria o computador.
2) Evitar ao máximo que ficassem muitas horas assistindo televisão, recebendo tudo pronto, sem criar nada, ou ao computador por horas a fio  jogando conversa fora   (já viu algum adolescente  levando um  "papo cabeça" com algum amigo no msn?) ou  então em algum  jogo on-line que não acaba nunca (sempre há mais uma etapa!!!).
3) Dar oportunidade igual a todos de assistirem seu programa favorito ou de usarem o computador sem exagero.


Então, como Deus dá sabedoria a quem lhe pede,  Ele nos deu. Encotramos uma solução sábia o que fez  a fórmula do título deste artigo mudar para :
                                                                            
(4 filhos + 1 TV + 1 computador ) = HARMONIA        


Como isso aconteceu? Na próxima postagem (amanhã) darei a solucão encontrada.
P.S.:  Nunca mais voaram  tenis pela sala!


Até amanhã!

DEIXE SEU COMENTÁRIO!
Ele é importante para o sucesso deste blog.

Nenhum comentário:

VOCÊ TAMBÉM VAI GOSTAR DISTO:

Related Posts with Thumbnails